quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Minha Gastroplastia do 1º ao 110º dia.

Minha gastroplastia – do 1º ao 110º dia.



Após muito relutar, resolvi compartilhar minha “caminhada” desde que resolvi me submeter a cirurgia bariátrica. ( popular redução de estômago).

Digo que relutei, porque esse negócio de ficar se expondo ás vezes me deixa meio grilado. Mas por outro lado, cada vez que pesquisava sobre a cirurgia de outras pessoas, percebia que cada comentário lido me ajudava demais a lidar com cada situação que passei. Então eis meu relato, pra quem se interessar.

Preparação.
Resolvi que iria fazer a cirurgia no início do mês de Agosto/2011. Por conta de um problema de saúde na família tenho a recomendação médica de realizar exame de colonoscopia a cada 2 anos, assim, resolvi ligar para o gastroenterologista e marcar o tal exame. Decidi comigo mesmo que no mesmo dia, conversaria com o médico sobre a possibilidade da cirurgia de redução do estômago. Abrindo um parêntese aqui, devo dizer que já ouvi algumas pessoas criticando quem decide pela cirurgia ao invés de dietas e exercícios físicos. Apesar de ter tentado muuuitos tipos de dietas e me dedicado a prática de exercícios sem obter sucesso para perda de peso, posso afirmar que não é só a parte estética e física que pesaram mais em minha decisão. Qualidade de vida sempre foi minha meta, e aos 40 anos de idade chegando a pesar 111 Kg com 1,70 sentia-me muito distante desse bem-viver. Creio que a decisão pela cirurgia é muito pessoal, há quem não tenha problema em estar acima do peso e viva bem com isso. Quem critica sem conhecimento de cada realidade individual, o faz sem a mínima idéia dos motivos que levam uma pessoa a esse procedimento.

Enfim, no início do Mês de Agosto então, entrei no consultório do médico e manifestei meu desejo de realizar a cirurgia. Ele fez algumas perguntas, mediu meu peso e altura, apurou um IMC de 38,0 e recomendou a cirurgia. A partir dali passei com alguns especialistas: (o padrão, que os planos de saúde pedem) Cardiologista, Pneumologista, Ortopedista, Endocrinologista, Nutricionista e Psicólogo. Além de fazer alguns exames complementares como: Sangue, Endoscopia, Ultrassom, Tomografia, Ecocardiograma, Esteira... O Pneumologista identificou Apnéia do sono e o Ultrassom acusou pedras na vesícula e osteopatia (gordura no fígado). Se tinha alguma dúvida ainda se ia mesmo operar, as pedras na vesícula me deram o empurrão que faltava, já que o médico disse que por causa das pedras eu teria que operar de qualquer maneira para tirar a vesícula. Passei em consulta com o último especialista antes da cirurgia no dia 02/09/2011 e marquei a cirurgia para dia 09/09/2011. Não houve nenhuma restrição ou burocracia por parte do plano médico (Unimed). Após a entrada dos papéis solicitando a cirurgia,  em 48 horas já estava com a liberação na mãos, tanto da gastroplastia quanto da Colecistectomia (retirada da vesícula).
A cirurgia.
Segui para internação no dia 09/09/2011 ás 07:00 da manhã, no Centro Médico de Barão Geraldo em Campinas-SP. Tomei um chazinho de espera das 07:00 as 11:55. Lembro de ter olhado para o relógio assim que entrei na sala de cirurgia, que marcava 12:00. O médico me perguntou se estava tudo bem... me pediu pra tomar cuidado pra não cair da mesa de cirurgia (rs), o anestesista já fez o serviço dele também e a partir daí não vi mais nada. Acordei no quarto ás 16:30 mais ou menos. Dei aquela olhadinha básica para a barriga e vi um curativo com mais ou menos uns 20 cm que vinha de cima do umbigo até o início do peito. No hospital tudo passou bem, porque é remédio pra aliviar as dores 24 horas. Fiz uma pequena caminhada no dia seguinte cedo, o enfermeiro me trouxe um copo de 200ml de um liquido azul escuro e me pediu pra que eu tomasse inteiro (ô coisa ruim). É o teste que é feito pra verificar se não tem nenhum “furo” no novo estômago (rs). Se no dreno que está inserido ao lado da barriga aparecesse algum liquido azul, era sinal de que algo estaria errado. Graças a Deus tudo certo e no segundo dia após a cirurgia o médico me deu alta.
A recuperação:
Em casa, já o início da dieta líquida, que me acompanharia por mais 15 dias:
·         Café da manhã – 150 ml de Leite desnatado.
·         Lanche da manhã – 150 ml de suco (soja tipo ADES)
·         Almoço – 150 ml de caldo de carne.(só a água onde a carne é cozida -- Aargh horrível--)
·         Lanche da tarde – 150ml de iogurte
·         Jantar – de novo os 150 ml do caldo de carne.
·         Ceia – 150 ml de Suco de frutas muito bem coado.
Tudo isso tomado bem devagar em cotas de 1 copinho de café a cada 5 minutos, e nos intervalos água. (muita água... pq eu sentia bastante sede.) Eu não consegui tomar o caldo de carne (me dava enjôos), que foi substituído por proteínas liquidas (que eram menos piores).
No final da 1ª semana senti muita fraqueza, mas a nutricionista disse que era normal. Os pontos da cirurgia começaram a vazar, e tive que ir ao médico pra ele dar uma olhada. Nada que uma “espremidinha” em todos eles,  e antibióticos não resolvessem. (vi estrelas esse dia).
Quanto à alimentação, tirando o caldo...não tive problemas de enjôo ou vômitos com nada. O novo estômago aceitou tudo. A partir dos 10 dias, já estava sentindo vontade de ingerir coisas diferentes e quando fui ao médico pra ele tirar o dreno, perguntei se podia chupar um picolé e comer melancia... rs.. ele autorizou e depois de 10 dias o picolé foi minha primeira “refeição” sólida.
Depois de duas semanas:
A partir do 15º dia comecei com as papinhas. Minha esposa Nilce ( a quem preciso agradecer todos os dias, por cuidar tão bem de mim), preparou a papinha mais deliciosa que comi em toda minha vida. Comi como se fosse uma picanha (rs). Meu estômago aceitou tudo muito bem. Com 15 dias de operado, voltei a trabalhar. No 18º retirei os pontos, e a partir do 20º dia já comia pedaços de carne inteiros no meio da sopa e até arrisquei um arroz com feijão e carne moída que caiu muito bem. Tudo sempre muito bem mastigado. Com 30 dias de operado minha 1ª consulta com a nutricionista; que disse estar tudo bem e acima das expectativas. Com 14 Kgs a menos tudo já melhorou consideravelmente. As roupas em sua grande maioria já não servem mais. Ainda bem que guardava algumas com numeração menor de muitos anos atrás, que vão me quebrar o galho até eu emagrecer o que falta. O sono melhorou muuuito e as dores nas costas sumiram.
A partir do 30º dia já introduzi na dieta todo tipo de alimento (além do comprimido diário de Centrum). As carnes vermelhas sempre “descem” melhor quando acompanhadas de algum tipo de molho. A restrição no meu caso fica por conta do pão, que não é digerido muito bem pelo meu estômago e a água que tem de ser tomada sempre em pequenos goles senão o estomago dói e dá a sensação de empachamento. Sempre achei estranho isso, pois com outros tipos de bebidas não há esse problema, o médico diz ser assim mesmo, que a sensação varia de paciente p/ paciente. A 1ª e única vez que “entalei” com alimentos não foi pela quantidade, mas pelo modo como engoli. Dois pedaços de um espetinho de frango empanado e um gole de suco de laranja foram suficientes pra fazer com que tudo parasse na entrada do estômago e tivesse que voltar pelo mesmo lugar que entrou. Cheguei a conclusão de que não podia mais comer sem antes encontrar um ambiente calmo e tranqüilo e respirasse bem devagar antes de cada mastigada. Não aconteceu mais até hoje. J
Há alguns dias em que a vontade de experimentar alguns alimentos (proibidos por enquanto) da época antes da cirurgia batem forte. Daí alguns “abusos” esporádicos que cometi (e cujo exemplo não deve ser seguido):
Coca-Cola bem gelada. (um copo inteiro em pequenos goles com 40 dias de operado)
Sundae de morango do McDonalds. ( Consegui 1 inteiro com 70 dias !!!)
Sobre o “dumping”, até hoje não tive problemas. Além do sundae, já comi pedaços de bolo em aniversários, sorvete e chocolate em casa... e até agora pelo menos, nada de mal estar. Comendo pouco como faço pra matar a vontade, já vi que não terei problemas.

Hoje com 110 dias de cirurgia e 23 Kilos a menos alguns hábitos que adquiri , e que não imaginava mais ser capaz:

·         Comer somente um quadradinho da barra de chocolates ou apenas 1 bombom da caixa.
·         Não comer arroz nas refeições.
·         Saborear  frutas como se fossem (e agora são) os melhores alimentos do mundo. (As laranjas são as campeãs)
·         Desprezar refrigerantes (inclusive coca-cola).
·         Demorar mais de 20 minutos numa refeição.
·         Não dispensar um bom copo de leite pela manhã.
·         Desprezar pão com presunto e queijo, salame, mortadela e outros frios.
·         Comer no máximo 6 salgadinhos em uma festa.
·         Dormir sem roncar...rs
·         Ter mais prazer em fazer o churrasco do que em comê-lo.
·         Gastar no máximo R$ 6,00 no self service  do shopping!
Mas creio que o grande beneficio disso tudo seja a auto-estima adquirida, o prazer de poder se sentir bem consigo mesmo é sempre a melhor parte.
Antes da cirurgia fiquei muito ansioso e também com receio do resultado. Por tudo que a gente ouve e lê sobre os riscos e as complicações que podem acontecer. Mas hoje, após mais de três meses, posso sem dúvida afirmar que valeu a pena. Correu tudo muito bem e pelo que vejo a tendência é melhorar a cada dia. J